Ceila Santos

Sonho com mundo mais diverso, justo e menos violento desde que me tornei mãe aos 30. Aprendi a fazer mergulhos profundos e intensos, dentro de mim, com a maternidade. Descobri perguntas de gênero nunca feitas. 

Trilhei a radicalidade do ativismo: passei pelo Conselho Participativo Municipal, Fórum das Mulheres da Zona Oeste, Parto do Princípio, ANEP Brasil e Rede Nossa São Paulo. Empreendi a Clarear – revista distribuída para duas mil gestantes em 180 lugares no Brasil – e, quando cheguei no fundo de mim, encontrei o Germinar (2015) e decidi começar a Jornada da Liderança (2018-2020) pra fazer parte dos facilitadores do programa.

Jornalista (PUC-SP), especializada em Gestão Cultural (Celacc-USP), fiz diversos cursos como ativista – de advocacy e marketing digital à renascimento e thetahealing – aprendi terapias em ecovilas, círculos de mulheres, grupos de estudos de Maturana a Allan Kaplan. Me tornei membro da Sociedade Antroposófica e integrante do Ramo Ictus (2017), associada à Associação de Pedagogia Social (2019) e mãe waldorf (2011).

Quero contribuir para o desenvolvimento da consciência na comunicação corporativa, relações mais saudáveis no social, mulheres mais potentes no seu dia a dia e para o desenvolvimento da autonomia individual de todas e todos. Pra isso, atuo com a Colaborativa, Clarear e Autonomia pela Potência e me tornei associada da ComViver (2019).